- Publicidade -

Ibovespa desaba e fecha em queda de 4,87% puxado por incertezas sobre destino da Petrobras; dólar vai a R$ 5,45

O Ibovespa encerrou em expressiva queda nesta segunda-feira (22), com o mercado abalado pelas dúvidas acerca do destino da Petrobras após o presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciar que o comando da estatal sairá das mãos de Roberto Castello Branco. O presidente sugeriu que o general Joaquim Silva e Luna assuma a função a frente da petroleira.

As ações da empresa, que fecharam com queda de 21,51%, foram as grandes responsáveis pelo mal desempenho de hoje. Tanto a XP como o Bradesco BBI rebaixaram as recomendações para as ações da Petrobras, em um reflexo também do cenário de incertezas a respeito da política de preços da companhia.

Os investidores, que estranham o comportamento intervencionista do governo dito como liberal, também ficaram alarmados com a possibilidade de Bolsonaro interferir na Eletrobras. A tensão aumentou depois que o presidente disse a apoiadores que agirá na energia elétrica. “Vamos meter o dedo na energia elétrica, que é outro problema também”, afirmou.

No exterior, as bolsas fecharam o dia com leves quedas. Um dos motivos para a cautela de alguns investidores é a rápida progressão dos juros de títulos do Tesouro americano com vencimento em 10 anos, que avançaram 0,14% na semana passada, indo a 1,34%.

Na Ásia, a maior parte das bolsas encerraram em queda após a taxa de juros referencial da China ter sido mantida inalterada em 3,85% durante o fim de semana. Apesar das bolsas chinesas liderarem as perdas, o índice japonês Nikkei 225 foi na contramão e fechou com altas.

Bolsa

O Ibovespa teve queda de 4,87%, a 112.667 pontos com um impressionante volume financeiro negociado de R$ 83,64 bilhões. 

Dólar

O dólar comercial subiu 1,27% a R$ 5,45.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias relacionadas