Fonte: Felipe Payão

O maior leilão de radiofrequência do mundo será do 5g? A Coreia do Sul já possui o 5G e já está preparada para o 6G em 2026.  Enquanto Vivo, Claro e Tim, estão na disputa pela aquisição de uma rede de telefonia móvel chamada OI aqui no Brasil e na batalha por essa nova tecnologia de telecomunicações (5G), a disputa internacional já passa a ser pelo 6G. Quem saiu na frente: EUA, Rússia, Inglaterra ou China, que possivelmente deverá ser a maior potência econômica do mundo? Não, a Coreia do Sul. Neste país, a cultura de empreendedorismo é muito forte e escalável. O grande responsável por disseminar essa cultura empreendedora foi o coreano Lee Byung-Chull, fundador do grupo Samsung e dono de outros negócios como commodities. A Samsung é pioneira em quase todos os segmentos em que atua, mas o seu forte mesmo é a linha de smartphones, processadores, televisores, smartwatches, eletrodomésticos, notebooks dentre outros, e por isso o 6G chegando em 2026 vai transformar não só a Coréia do Sul, mas o mundo todo.

Os negócios vão se tornar mais versáteis e dinâmicos com o 6g, pela conexão com os aparelhos telefônicos, automóveis, computadores e televisores, otimizando toda a cadeia logística das empresas. Com uma análise de dados mais rápida e eficaz, as empresas terão mais resultados e capacidade de tomar decisões mais assertivas.

Mesmo assim aqui no Brasil, o parque industrial ainda não está preparado para receber esta tecnologia de ponta. Existem gargalos no nosso sistema operacional e falta de investimentos em tecnologia no nosso país. Apenas o estado do Amazonas possui uma indústria que consegue distribuir para os demais estados tornando mais claro o problema de logística e transporte no Brasil. Os investimentos em tecnologia são tão importantes para o Brasil, que as Big Techs ( Apple, Amazon, Microsoft) já possuem um PIB maior do que o país.

Observando o gráfico abaixo, percebe-se como as empresas de tecnologia nos Estados Unidos crescem com essa nova fonte de informações:

Fonte: CNBC.

Portanto, os investimentos em ciência de dados, tecnologia e inovação viraram uma obrigação para o Brasil competir em igualdade de condições com os demais países.

  • Este artigo foi produzido por Thiago Ramacciotti Gomes e é exclusivo para a leitura do portal www.bpmoney.com.br

*Thiago Ramacciotti Gomes é empreendedor, e Administrador de Empresas , pela Universidade Salvador. Possui certificado pela ESPM em Novas Práticas de Marketing.