Fundos de investimento: como funcionam e quais são seus tipos?

Apresentando desde opções mais simples, ótimas para iniciantes, até alocações mais complexas, destinadas aos mais experientes, os fundos de investimento são uma ótima possibilidade para os mais diversos tipos de investidores. Afinal, contar com ajuda profissional para diversificar sua carteira é algo bastante atrativo.

Está pensando em investir em fundos mas está perdido? No post de hoje. explicamos o que são fundos de investimento e seus principais tipos. Veja todos os detalhes:

O que são fundos de investimento?

Os fundos de investimento são uma forma de pessoas reunirem seus recursos e investirem juntas. Dessa forma, cria-se o patrimônio do fundo, ou seja, a soma do dinheiro dos investidores, que é aplicado por gestores profissionais, e os lucros são divididos proporcionalmente entre seus integrantes.

Porém, as decisões sobre alocação dos recursos não são feitas de forma aleatória. Cada fundo possui objetivos e regras próprias, e os resultados dessas políticas vão definir o valor do fundo, pois podem ter sucesso, mas também podem fracassar.

Além disso, apesar de definirem regras individuais, podendo utilizar os mais variados tipos de ativos, os fundos devem seguir algumas regras gerais. Uma delas restringe a 20% do patrimônio a quantia máxima investida em ativos de uma única instituição. Esse valor muda para empresas de capital aberto, indo para 10%, e é ilimitado para títulos federais. Regras como essas têm o objetivo de proteger os investidores.

Remuneração

Para a remuneração, os fundos são divididos partes, denominadas “cotas”. Ao investir num fundo, você estará adquirindo cotas dele, e são elas que irão definir a sua rentabilidade.

Você pode, por exemplo, investir R$ 100,00 em um fundo com cotas de R$ 20,00. Dessa forma, você estará obtendo 5 cotas, e irá receber um valor proporcional a elas. Além disso, as cotas podem se valorizar ou se desvalorizar, algo que também irá impactar seu dinheiro.

Os fundos também são categorizados de acordo com as características de suas carteiras e com os riscos que eles apresentam. Assim, antes de investir, você saberá qual será o destino de seu dinheiro e quais as chances de perder recursos no processo.

Taxas

Para investir em fundos, são cobradas algumas taxas, pois seu dinheiro será administrado por terceiros. Uma delas é a taxa de administração, que incide sobre o patrimônio do fundo e fica em torno de 0,5% e 4% ao ano. Há também a taxa de performance, cobrada quando a rentabilidade é superior à previamente acordada, como um “bônus” ao gestor.

Além disso, os investimentos em fundos também estão sujeitos a alguns tributos, como o Imposto de Renda, que incide na rentabilidade, e o Imposto sobre Operações Financeiras, que são cobrados em resgates realizados com menos de 30 dias após a aplicação.

Fundos ativos x Fundos passivos

Ao saber o que são os fundos de investimento e decidir utilizá-los, é preciso considerar qual será a melhor opção de gestão para suas alocações. Nesse critério, eles se dividem em fundos ativos e fundos passivos.

Nos fundos ativos, há um gestor para elaborar análises das melhores opções de investimentos na composição da carteira. Ao ser administrado por um profissional, espera-se que o fundo tenha um retorno acima da média do mercado.

Em outras palavras, fundos ativos têm a meta de obter rendimentos acima do benchmark, ou seja, o índice do mercado. Porém, os custos para a contratação de uma gestão profissional são maiores, o que se reflete nas taxas para investir nesse tipo de fundo.

Já os fundos passivos alocam os recursos dos investidores em índices, compondo uma carteira própria, planejando uma estratégia e possuindo apenas retorno de mercado. A vantagem está em ter diversificação por um custo baixo e de forma mais simples.

Eles também estão sujeitos a taxas de administração e performance, e muitas vezes o retorno final pode ficar igual ou menor que o benchmark. Investidores que defendem essa modalidade acreditam que, no longo prazo, é impossível ter retornos maiores que esses índices.

Exchange Traded Funds (ETFs)

Uma opção muito popular no exterior e que está ganhando cada vez mais força no Brasil são os ETFs. Eles combinam uma diversificação mais simples com taxas de administração menores que as tradicionais.

Mas como eles funcionam? Os ETFs são fundos de investimento que replicam algum índice de referência, como o Ibovespa ou o S&P 500. Neles, o gestor faz ajustes em sua composição para que ela seja o mais próxima possível do indicador escolhido.

Por isso, ele é considerado um fundo de gestão passiva, pois preocupa-se apenas em replicar o desempenho do índice, comprando as mesmas ações utilizadas na carteira de referência. Assim, são uma boa opção para diversificar a carteira com baixo custo.

Porém, eles são negociados de maneira diferente. Suas cotas são vendidas no pregão da bolsa de valores, da mesma forma que as ações. 

Tipos de fundos

Dependendo da composição dos investimentos, os fundos podem ser classificados de diferentes formas. As principais são os fundos de renda fixa, os fundos multimercado e os fundos de ações.

Fundos de renda fixa

Nos fundos de renda fixa, pelo menos 80% dos investimentos serão destinados a ativos da renda fixa, sejam eles pós ou prefixados. O restante, geralmente, é investido em outros ativos, para melhorar a rentabilidade do fundo. 

Os investidores desse tipo de fundo são pessoas de perfil conservador, que dão prioridade à segurança.

Fundos multimercado

Os fundos multimercado são mais diversos, pois investem tanto na renda fixa como na variável. Dessa forma, são aconselháveis a pessoas que estão dispostas a correr riscos moderados, no intuito de obter maiores rendimentos.

Fundos de ações

Em fundos deste tipo, a maioria dos investimentos são destinados a ações da bolsa de valores. Conforme vimos anteriormente, eles podem ser passivos ou ativos e suas alocações variam de acordo com os papéis escolhidos.

Sabendo de tudo isso, agora é hora de pôr em prática! Entenda seu perfil de investidor, veja quais fundos melhor se encaixam em seus objetivos e pesquise mais sobre cada um deles. Assim, você terá investimentos mais diversificados e contará com as vantagens que os fundos de investimento têm a oferecer.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Bolsonaro contradiz ministro da Saúde e afirma que vacina chinesa não será comprada

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desautorizou nesta quarta-feira (21) o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que, na terça-feira (20), anunciou acordo...
- Publicidade -

Live BP Money: Chefe da XP Private, Rafael Pina aborda gestão de investimentos

O sócio da BP Money, Nicolau Eloy, entrevista nesta quarta-feira (21), às 18h, o chefe da XP Private, Rafael Pina, que vai...

Questões tributárias e trabalhistas ficam de fora do marco legal de startups

Entregue nesta terça-feira (20) ao Congresso, o texto apresentado pelo governo para se criar um marco legal para startups no Brasil deixou...

Fundos imobiliários: MCCI11 anuncia quarta emissão de novas cotas

O IFIX apresentou ontem (terça-feira, 20/10) uma valorização de 0,20%, fechando o dia aos 2.823,75 pontos. No acumulado do mês de outubro e ano de...

Notícias relacionadas

Um pouco sobre Alupar

A Alupar Investimento S.A. é uma holding que atua nos segmentos de transmissão e geração de energia elétrica, administrando diversas empresas no...

Entendendo o IPO da TRACK & FIELD

A Track & Field foi fundada em 1988 através de uma iniciativa de três amigos: Alberto Azevedo, Frederico Wagner e Ricardo Rosset....

Entenda o IPO da Triple Play

A Triple Play Participações pretende captar recursos via IPO para viabilizar e alavancar o seu projeto de crescimento inorgânico, sempre tendo em...

6G: o que muda nos seus negócios? Tudo!

O maior leilão de radiofrequência do mundo será do 5g? A Coreia do Sul já possui o...
- Publicidade -