- Publicidade -

Venda da Refinaria Landulpho Alves (RLAM) pode ser travada por troca no comando da Petrobras

Apontado por Bolsonaro, Joaquim Silva e Luna sinalizou que pretende “tomar pé” da gestão da companhia antes de tomar decisões

A venda da Refinaria Landulpho Alves (RLAM) e seus ativos logísticos podem ser prejudicados com a possível troca de comando da Petrobras. A refinaria que fica em São Francisco do Conde, na Bahia, foi vendida por US$ 1,65 bilhão ao fundo soberano de Abu Dhabi, Mubadala Capital (veja aqui). 

Joaquim Silva e Luna, general que foi indiciado por Bolsonaro para ocupar o lugar do atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, já sinalizou que pretende “tomar pé” da gestão da companhia antes de tomar decisões, inclusive referente à política de preços e à venda de ativos. Segundo o Bahia Econômica, é provável que haja uma troca de cargos na diretoria, podendo travar o processo da venda, além do mais a interferência do governo pode trazer incertezas ao comprador da RLAM.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias relacionadas