- Publicidade -

Economista explica PMI e comenta resultados de EUA, Alemanha e Inglaterra

O PMI é conhecido como Índice de Gerentes de Compra e seu principal objetivo é fornecer informações sobre a temperatura de alguns setores da economia e orientar diversos profissionais do mercado

A Inglaterra, a Alemanha e os Estados Unidos divulgaram os resultados do PMI de maio, que engloba o setor industrial e de serviços.

Na Inglaterra, o Índice de Atividade dos Gerentes de Compras ficou em 53,3.
Com serviços voltando a se expandir, o PMI composto da Alemanha sobe a 56,2.
Já nos Estados Unidos, em nível recorde, o PMI composto sobe a 68,1.

A sigla PMI significa, em inglês, Purchasing Manager’s Index e é um indicador que mede a atividade econômica de diversos setores de um país, a partir de pesquisas mensais. Dessa forma, o PMI também é conhecido como Índice de Gerentes de Compra e seu principal objetivo é fornecer informações sobre a temperatura de alguns setores da economia e orientar os diversos profissionais do mercado.

Nos últimos meses, esse índice vem apresentando ainda mais relevância. Com as mudanças econômicas em razão da pandemia da Covid-19, o PMI tem auxiliado vários especialistas com a leitura das condições dos setores do mercado em diversos países.

Em entrevista a BP Money, André Luzbel, economista, pós graduado em finanças pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e sócio-fundador da BP Investimentos, um dos maiores escritórios de investimentos credenciado à XP, explicou sobre a importância do PMI e também ensinou como analisá-lo.

“O PMI é uma informação que recebemos principalmente dos países da Europa e dos Estados Unidos. Ele é indicador que funciona como um índice de confiança, índice do consumidor, índice do produtor, da indústria e similares. O PMI acaba servindo como um termômetro que mede a economia real”, destacou Luzbel.

Quanto ao funcionamento do índice, o economista explica:“Basicamente é o seguinte, quando esse número vem abaixo de 50, ele apresenta uma retração. Por exemplo, imagine que estamos avaliando o índice de serviços e este apresente PMI abaixo de 50. Isso quer dizer que o setor de serviços está produzindo menos do que produzia anteriormente. E o inverso também é verdadeiro, ou seja, PMI acima de 50 apresenta expansão do setor analisado”.

Luzbel salienta que existe uma margem de erro de cerca de 2 pontos. “Dessa forma, se o setor estiver com números entre 48 e 52, é considerado uma situação de estabilidade, sem retração e sem expansão”.

“O PMI é de extrema importância e apresenta novos dados todos os meses, dos mais diversos setores. Assim, ele acaba sendo um direcional de como está ‘andando’ a economia de um determinado país ou região”, enfatizou.

“Então quando percebemos os PMIs dos países da Europa e Estados Unidos apresentando valores acima de 50, isso mostra que talvez o pior da crise já tenha passado. Durante a pandemia esses PMIs chegaram ao valor de 20, ou seja, forte retração. Agora eles estão vindo acima de 50, mostrando expansão”, disse Luzbel em relação aos dados recentemente divulgados da Inglaterra, Alemanha e Estados Unidos.

“Isso, a longo prazo, ou seja, se a cada mês observarmos os setores se expandindo, podemos prever que o PIB desses países venham positivos. Os impactos são sentidos também na Bolsa de Valores, pois com o PIB crescendo e os setores se expandindo, as empresas faturam mais e as ações sobem. O inverso também é verdadeiro. O PMI abaixo de 50, representa empresas com receitas baixas, setores com menos lucro e, dessa forma, as ações caem. Basicamente o PMI é isso, tentando simplificar algo bem mais complexo”, explicou.

Por fim, o economista destaca que os resultados do índice ajudam a observar os setores que estão crescendo.

“É importante ressaltar que, é possível observar alguns setores crescendo e outros não. Então, imagine que o setor do agronegócio pode crescer enquanto o setor de serviços pode retrair” concluiu o economista.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias relacionadas