- Publicidade -

O caos desta segunda-feira, medo e oportunidades

Entenda a situação atual do mercado após as falas do presidente Jair Bolsonaro e confira quais são as possibilidades em meio as quedas

Desde a última sexta-feira (19), o mercado tem vivido um clima tenso e inseguro graças às falas do presidente Jair Bolsonaro, que afirmou ter intenção de realizar mudanças na Petrobras e possivelmente em outras estatais. O presidente acabou por cumprir sua promessa e retirou Roberto Castello Branco do comando da estatal petrolífera brasileira, nomeando o general Joaquim Silva e Luna (presidente da Itaipu Binacional) para sucedê-lo.

A insegurança dos investidores, entretanto, vai além da interferência do Poder Executivo nas estatais. A alteração do presidente da Petrobras foi a “cereja do bolo” em uma virada de rumo evidente no posicionamento econômico do governo, se afastando um pouco da pauta liberal que foi apresentada nas eleições de 2018. As pautas de privatização encontram-se cada vez mais distantes no horizonte, enquanto vemos as reformas estruturantes paradas mesmo com a eleição de Arthur Lira e Rodrigo Pacheco.

Com quedas assustadora nos valores de diversas ações na sexta passada e uma intensa baixa nesta segunda-feira (22), muitos investidores preferiram segurar os investimentos. Esse posicionamento é natural e compreensível, visto que o risco no Brasil se prova cada vez mais e a volatilidade das ações listadas no país no curto prazo as vezes são irracionais.

Porém, é importante destacar que uma queda desse porte e seriedade pode se apresentar como uma grande oportunidade para alguns investidores, tendo em vista que a imensa maioria das empresas tiveram uma redução no valor de suas ações (mesmo não tendo relação alguma com a Petrobras e outras estatais). Existe, portanto, uma chance de valorização dos ativos nos próximos dias e semanas.

O mercado a longo prazo tende a favorecer investidores que são um pouco mais moderados em períodos de grandes altas e mais arriscados quando o mercado está em queda, conseguindo dessa forma adquirir ativos que estão relativamente baratos devido ao momento de baixas, mas continuam com seu valor intrínseco intacto e com uma possibilidade de valorização do ativo promissora.

O caos tende a ser uma escada para as possibilidades e aberturas de portas para investidores que sabem o momento certo para aportar: quando o pessimismo toma conta do mercado e ativos com um bom PL (preço da ação dividido por lucro por ação) estão baratos.

Para exemplificar, é possível fazer um levantamento do histórico de quedas consideráveis da PETR4 (mesma ação que despencou nesta segunda-feira) e buscar o que aconteceu com o papel após alguns meses dessas quedas. Em 18 de maio de 2017 o ativo caiu 15,76%, entretanto 6 meses após essa queda a PETR4 apresentava um crescimento de 22%. Já em 9 de março de 2020, o ativo caiu incríveis 29,70% no inicio dos efeitos da pandemia no país. 6 meses após despencar, a ação apresentava um crescimento de 39%. Desta forma é notável o potencial de se valorizar após grandes quedas do ativo.

Apesar de haver um potencial de valorização em diversas ações que despencaram hoje, é válido frisar que esta oportunidade deve ser bem analisada e gerenciada com cuidado. Agora não é o melhor momento para entrar com tudo em uma ação, mesmo se ela possuir um bom potencial. É promissor aproveitar as oportunidades que surgiram, mas com atenção e diversificação.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias relacionadas