- Publicidade -

‘Enxergamos uma recuperação cíclica no Brasil’, diz Daniel Reichstul, sócio da Indie Capital

Daniel Reichstul possui mais de 18 anos de experiência no mercado financeiro e é um dos dois fundadores da Indie Capital, uma gestora de recursos dedicada ao investimento em ações de empresas de capital aberto com atuação no Brasil.

Em bate-papo com a BP Money, o gestor de investimentos conta um pouco sobre as perspectivas do mercado para 2021.

“No mundo, terminamos 2020 com uma expectativa importante em relação a eficácia das vacinas e a vacinação em massa das principais economias do mundo. Os resultados das vacinas nos testes foram muito satisfatórios e bem acima do que era esperado, talvez até em uma rapidez maior do que planejado. Isso traz uma perspectiva otimista para o ano de 2021, com a retomada global em um ambiente de muita liquidez, o que pode favorecer os mercados emergentes, a exemplo do Brasil”, comenta.

Sobre o cenário interno, Reichstul fala dos problemas econômicos do Brasil mas também destaca pontos de recuperação para o país no ano que vem. “No Brasil, temos o problema fiscal de sempre, que é uma preocupação, e um crescimento em função disso não muito alto, o que consideramos como um crescimento mais medíocre, dada a contração de 2020. Por outro lado, é um ambiente de juros reais estruturalmente baixos, o que é muito positivo para os investimentos em bolsa, para empresas e a economia real como um todo. Com isso, enxergamos uma recuperação cíclica”, explica o gestor. “Sobre a questão fiscal, que creio ser outro ponto de temor, acreditamos ser muito cedo para o governo abandonar a âncora fiscal, faltam ainda dois anos de mandato e por isso, na nossa visão, seria muito arriscado se desprender desse tópico. De uma maneira geral, achamos que 2021 não representará um crescimento tão expressivo, mas sim um cenário favorável para alguns setores e um ambiente de juros baixos”, destaca.

A respeito da Indie, o fundador discorre sobre o atual desempenho da gestora e quais são os planejamentos futuros. “Quando olhamos para nossa carteira enxergamos um retorno esperado e bastante satisfatório, tanto que estamos com o nível de caixa relativamente baixo. Além disso, achamos que o próximo ano será um ano de stock pickings, ou seja, 2021 vai servir para tentarmos identificar quais são os modelos de negócio mais vencedores, mesmo que alguns setores não performem tão bem. E, ao descobrir esses grandes campeões, que são as empresas que tem um modelo de negócio diferenciado, vamos conhecer características de empresas que conseguem navegar bem mesmo em um ambiente mais adverso”, conclui Reichstul.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias relacionadas