Puxado por alimentos e bebidas

IPCA-15: prévia da inflação desacelera com alta de 0,21% em abril

Ainda assim, a alta do mês representa uma redução de 0,15 ponto percentual em comparação com março, quando atingiu 0,36%.

IPCA-15 de abril é puxado novamente por alimentos (Foto: unsplash)
IPCA-15 de abril é puxado novamente por alimentos (Foto: unsplash)

Em abril, o IPCA-15, considerado como a prévia da inflação, registrou uma alta de 0,21%, segundo dados divulgados na manhã desta sexta-feira (26) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O desempenho do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15) foi impulsionado, novamente, pelo grupo Alimentação e Bebidas, que teve alta de 0,61%, contribuindo com 0,13 ponto percentual para o índice geral. 

Ainda assim, a alta do mês representa uma redução de 0,15 ponto percentual em comparação com março, quando atingiu 0,36%.

Por outro lado, o grupo Transportes foi o único a apresentar queda, com -0,49%, impactando negativamente em 0,10 ponto percentual no índice geral. 

Nos últimos 12 meses, a variação do IPCA-15 ficou em 3,77%, abaixo dos 4,14% observados no período anterior. Em abril de 2023, o IPCA-15 foi de 0,57%.

IPCA-15: destaques por grupo e região

Em abril, dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, apenas o setor de Transportes registrou queda (-0,49%), enquanto Alimentação e Bebidas liderou com o maior impacto positivo (0,13 p.p.), seguido por Saúde e Cuidados Pessoais (0,78% e 0,10 p.p.). As demais variações oscilaram entre 0,03% em Artigos de Residência e 0,41% em Vestuário.

Quanto aos índices regionais, todas as nove áreas observaram alta em abril. Recife teve a maior variação (0,57%), impulsionada pelos aumentos nos preços do tomate (27,79%) e da gasolina (5,13%). Por outro lado, Fortaleza registrou o menor resultado (-0,02%), com queda nos preços da passagem aérea (-17,10%) e da gasolina (-4,80%).

Variação dos grupos em abril

Fonte: IBGE