Puxado por Serviços

PIB do Brasil cresce 0,8% no 1TRI24, dentro das expectativas

Na comparação com o 1TRI23, o PIB cresceu 2,5%; resultado indica retomada, após números inferiores às estimativas no ano passado

No setor de Serviços, o Comércio foi destaque, com crescimento de 3%
No setor de Serviços, o Comércio foi destaque, com crescimento de 3% / Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro registrou um crescimento de 0,8% no primeiro trimestre de 2024, alcançando a marca de R$ 2,7 trilhões em valores correntes, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira (4).

Na comparação com o primeiro trimestre de 2023, o PIB cresceu 2,5%. O resultado indica uma retomada, após números inferiores às estimativas no terceiro e quarto trimestres do ano passado.

O resultado ficou em linha com as expectativas do mercado, que previa um crescimento trimestral de 0,8% e anual de 2,2%.

O PIB consiste na soma de todos os bens e serviços que foram produzidos em um território ao longo de um período de tempo. Para o cálculo do PIB, considera-se o resultado na moeda local do país.

PIB: Serviços foi destaque positivo

Pela ótica da produção, os destaques foram os Serviços, com crecimento de 1,4%, e a Agropecuária, com alta de 11,3%. A Indústria, por sua vez, ficou praticamente estável (-0,1%).

Dentre as atividades industriais, houve queda em Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (-1,6%), Construção (-0,5%) e Indústrias Extrativas (-0,4%). Já a Indústria de Transformação (0,7%) teve desempenho positivo.

Nas atividades de Serviços, houve crescimento em Comércio (3,0%), Informação e comunicação (2,1%), Outras atividades de serviços (1,6%), Atividades imobiliárias (1,0%) e Transporte, armazenagem e correio (0,5%).

Por outro lado, houve estabilidade nas atividades de Intermediação financeira e seguros (0,0%) e Administração, saúde e educação pública (-0,1%).

A taxa de investimento foi de 16,9% do PIB, abaixo dos 17,1% registrados no primeiro trimestre de 2023. Já a taxa de poupança foi de 16,2%, ante 17,5% no mesmo trimestre de 2023.