Brasileiros no mercado

Poupança segue como opção favorita entre os brasileiros

Apesar de a maioria dos brasileiros desconhecer investimentos e de a poupança ainda ser a aplicação favorita, títulos privados e moedas digitais estão conquistando espaço

Poupança ainda é opção favorita dos brasileiros
Poupança / Freepik

Apesar dos resgates registrados nos últimos anos, a poupança continua sendo a opção mais lembrada pelos brasileiros na hora de aplicar suas economias.

De acordo com a mais recente edição do estudo “Raio X do Investidor Brasileiro”, conduzido pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) em colaboração com o Datafolha, 25% dos entrevistados afirmaram investir em cadernetas de poupança.

Na mesma pesquisa, a maioria (57%) dos entrevistados afirmou não conhecer investimentos ou não fazer uso deles, um percentual ligeiramente menor em comparação com o levantamento do ano anterior (58%).

Investimentos além da poupança

O estudo, que contou com a participação de quase 6 mil pessoas de diferentes regiões e estratos sociais para identificar os produtos financeiros adotados, aponta que os títulos privados e as criptomoedas estão expandindo sua presença entre os investidores.

O terceiro maior grupo (5%) declarou investir em títulos privados, como CDB, debêntures, LCA e LCI. Em quarto lugar (4%), houve um empate entre investimentos em imóveis, fundos de investimentos e criptomoedas.

Outros 3% dos entrevistados optam por manter o dinheiro em casa, enquanto 2% investem em ações, planos de previdência privada ou títulos do Tesouro Direto.

Poupança tem retirada líquida de R$ 87,82 bilhões em 2023

Pelo terceiro ano seguido, o saldo das cadernetas de poupança caiu, com o registro de mais saques do que depósitos em 2023, em um cenário de juros e endividamento ainda altos no país. No ano passado, as saídas superaram as entradas em R$ 87,82 bilhões, de acordo com relatório divulgado nesta segunda-feira (8) pelo BC (Banco Central).

Em 2023, foram aplicados R$ 3,83 trilhões, contra saques de R$ 3,91 trilhões. Apenas os meses de junho, com R$ 2,59 bilhões, e dezembro, com R$ 13,77 bilhões, registraram saldo positivo, com mais depósitos do que saques. Nos demais meses do ano, houve saídas líquidas. As informações são da Agência Brasil.

Os rendimentos creditados nas contas de poupança somaram R$ 73,08 bilhões em 2023. Agora, o estoque aplicado na poupança é de R$ 983,03 bilhões.