Desdobramentos da Petrobras

Alckmin defende presença de indicado pela Fazenda na Petrobras

“Eu achei muito relevante ter um especialista, um técnico de alto nível no conselho da Petrobras", destacou Alckmin

Foto: Geraldo Alckmin/Flickr
Foto: Geraldo Alckmin/Flickr

O vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, enfatizou a importância da nomeação de um especialista do Ministério da Fazenda para integrar o conselho de administração da Petrobras (PETR3; PETR4), designando Rafael Dubeux, secretário-executivo-adjunto da pasta, como a escolha muito relevante.

“Eu achei muito relevante ter um especialista, um técnico de alto nível no conselho da Petrobras, em que ganhará tanto a empresa e a sociedade”, afirmou Alckmin, durante sua participação na inauguração do complexo mineroindustrial da Eurochem, de fertilizantes, em Serra do Salitre (MG).

Durante o evento da Eurochem na terça-feira (13), o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou que é algo esperado e lógico a participação do Ministério da Fazenda com uma cadeira no conselho, referindo-se ao movimento “natural que a Fazenda participe”.

A nomeação de Dubeux visa promover discussões adicionais sobre transição energética e sustentabilidade ambiental na empresa estatal.

Petrobras (PETR3): Alckmin defende permanência de Prates

Em meio à controvérsia sobre a não distribuição de dividendos extraordinários pela Petrobras (PETR3; PETR4), outra liderança do governo federal se manifestou em apoio ao presidente da companhia, Jean Paul Prates, que agora enfrenta críticas internas no Palácio do Planalto.

vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin (PSB), expressou seu apoio à permanência de Prates na liderança da Petrobras, ressaltando a experiência do ex-senador no setor de óleo e gás.

“A presidência da Petrobras é um cargo de confiança do presidente da República. Na minha opinião, ele deve continuar. É uma pessoa da área e tem todas as condições de fazer”, afirmou Alckmin, em entrevista à Rádio Itatiaia.

Ao ser questionado sobre a possível saída de Prates da presidência da Petrobras, Rui Costa afirmou: “Isso não está na pauta. Então, não está descartada porque nunca veio à mesa. Não foi discutido”.

“A empresa teve o segundo maior lucro da história. E só não é o maior porque o primeiro foi vendendo ativos. Pagou o segundo maior dividendo de sua história. E essa empresa está em crise? Se essa empresa está em crise, acho que todas as empresas brasileiras queriam estar assim”, ironizou o chefe da Casa Civil.