Agenda esvaziada

Ibovespa fecha em queda sem apoio de novos dados; dólar cai

O Ibovespa fechou a sessão desta segunda-feira (25) com queda 0,08%, aos 126.931,47 pontos; o dólar recuou a R$ 4,97.

Ibovespa
Ibovespa recua (Foto: Freepik)

O Ibovespa, principal índice acionário brasileiro, fechou a sessão desta segunda-feira (25) com queda 0,08%, aos 126.931,47 pontos. O dólar comercial caiu 0,51%, a R$ 4,97.

Em uma semana mais curta, devido ao feriado da Sexta-feira Santa, o Ibovespa encontrou o mercado esvazidado de dados relevantes nesta sessão. O índice segue repercutindo a redução dos juros dos EUA e no Brasil, aguardando, também, a divulgação dos números da inflação. Leandro Petrokas, sócio da Quantzed, avaliou as maiores altas e baixas do dia.

Na linha positiva, a Petrobras (PETR4) chamou atenção dos investidores pelo aumento do petróleo no exterior, bem como pela proposta de dividendos ordinários na próxima AGO, em abril.

“Petróleo subindo com pressão da Rússia que ordenou corte na produção de petróleo para cumprir meta da OPEP +. Com isso, temos altas de PetroRecôncavo (RECV3) e 3R Petroleum (RRRP3), além da Prio (PRIO3)“, observou.

Segundo Petrokas, a Prio também avançou, apoiada no anúncio da 3ª emissão de debêntures simples, no valor de R$ 1,3 bilhão.

Já na linha negativa, a CCR (CCRO3) sofreu as consequência do rebaixamento de “compra” para “neutra” pelo UBS BB. O banco também reduziu o preço-alvo das ações para R$ 16.

Casas Bahia (BHIA3) cai sem motivo específico, mas sabemos que a situação da empresa é delicada. Extremamente endividada e sem capacidade de entregar resultados trimestrais positivos há algum tempo, as ações renovaram a menor cotação de sua história no dia de hoje”, afirmou o sócio da Quantzed.

Ele apontou que, nesta semana, o que vai movimentar o mercado é a ata do Copom e o IPCA-15, a serem divulgados na terça-feira (16), além dos dados fiscais do Brasil, que vem a público na quarta-feira (27).

Altas e Baixas do Ibovespa: Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) divergiram

No setor petrolífero, as ações da Petrobras (PETR3;PETR4) avançaram 1,25% e 1,53%, respectivamente. Prio (PRIO3) valorizou 2,10%.

Entre as mineradoras e siderúrgicas o movimento negativo foi puxado pela Vale (VALE3) que caiu 0,21%. Gerdau (GGBR4) registrou baixa de 0,19%. Usiminas (USIM5) desvalorizou 1,77%.

No setor bancário, Itaú (ITUB4) equilibrou em 0,00%. O Banco do Brasil (BBAS3) subiu 0,40%. Enquanto o Bradesco (BBDC4) e Santander (SANB11) seguiram em movimentos opostos com desvalorização 0,14% e valorização 0,25%, em sequência.

Entre as varejistas, Magazine Luiza (MGLU3) caiu 1,04%. Diferente da Magalu, as ações das Lojas Americanas (AMER3) avançaram 1,89%. Casas Bahia (BHIA3) desvalorizou 2,94%.

A 3R Petroleum (RRRP3) liderou os ganhos do Ibovespa, avançando 3,47%. Logo atrás, PetroRecôncavo (RECV3) e Natura (NTCO3) registraram altas de 2,87% e 2,24%, respectivamente.

Já na ponta negativa, Braskem (BRKM5) liderou as perdas, caindo 4,54%. Em seguida, vieram CCR (CCRO3)  e Casas Bahia (BHIA3), com perdas de 3,20% e 2,94%.

Índices do exterior fecharam de forma mista

Os principais índices europeus tiveram desempenhos mistos nesta segunda-feira (25). O índice DAX, de Frankfurt, valorizou 0,31%, enquanto o CAC 40, de Paris, equilibrou em 0,00%. Já o índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,04%. Em Wall Street, os índices S&P 500 e Nasdaq recuaram 0,31% e 0,27%, respectivamente. Já o Dow Jones recuou 0,41%.