Mercado

Intelbras (INTB3): queda no 3T23 não deve assustar acionistas

Analistas ouvidos pelo BP Money dizem que o anúncio não configura um desastre para a Intelbras

A Intelbras (INTB3) divulgou seu balanço financeiro do terceiro trimestre de 2023 na segunda-feira (30). Apesar de ter reportado lucro de R$ 111 milhões ante R$ 122 milhões no mesmo período do ano anterior, representando queda de 9,6%, o resultado não deve assustar quem aposta na empresa.

Analistas ouvidos pelo BP Money concordam que o desempenho da gigante brasileira de tecnologia veio mais fraco que o esperado, mas ainda assim, o anúncio não configura um desastre para a Intelbras ou para seus acionistas.

O head de Alocação da InvestSmart, Gustavo Badia, avaliou que houve uma forte expansão da margem bruta nos segmentos de segurança e comunicação, mas que foi contrabalanceada por uma diminuição da rentabilidade no segmento de energia, que reduziu seus preços para aumentar a competitividade.

“Foi sinalizado de forma coerente pela companhia que o fraco desempenho trimestral foi algo pontual e com motivos específicos que devem ser normalizados no 4T23”, analisou.

O especialista em renda variável Juan Vieira destacou que o ROIC (Retorno Sobre o Capital

Investido) da Intelbras é de 17,9%, o maior do setor de computadores e equipamentos.

“É uma empresa que roda praticamente sem dívidas. Podemos enxergar essa tranquilidade no curto prazo com relação ao ambiente macroeconômico, já que a empresa tem uma liquidez corrente de 2,59 que significa que tem muita capacidade de honrar compromissos de curto prazo e até mesmo assumir alguma dívida de longo prazo para se alavancar e assim, crescer exponencialmente”, afirmou Vieira.

“Mesmo a empresa após a divulgação de um resultado abaixo do esperado neste trimestre,

ainda possui ótimas margens e uma boa geração de caixa. Hoje paga poucos dividendos, pois ela investe boa parte dos lucros de volta no próprio negócio”, comentou.

É hora de comprar?

Na opinião de Gustavo Badia, os papéis da Intelbras podem ser um bom negócio para quem está em busca de investimentos. A recomendação dos analistas da XP (XPBR31) é de compra, com preço-alvo para 12 meses de R$34,00.

“A empresa ainda tem margens boas e é líder no segmento. A performance do 3T23 deixou a desejar, mas um resultado por si só não determina a qualidade de uma tese”, pontuou.