Canoas

Azul (AZUL4) e Latam anunciam operação de voos comerciais no RS

A previsão da Azul (AZUL4) e da Latam é que as viagens sejam iniciadas entre o final de maio e o início de junho.

Foto: Divulgação/Azul
Foto: Divulgação/Azul

A Azul (AZUL4) e a Latam anunciaram o início da operação de voos comerciais, com transporte de passageiros para a base aérea de Canoas, no Rio Grande do Sul (RS).

A previsão da Azul (AZUL4) e da Latam é que as viagens sejam iniciadas entre o final de maio e o início de junho para atenuar os impactos do fechamento — por tempo indeterminado — do Aeroporto Internacional de Porto Alegre (Salgado Filho).

A operação da Azul terá viagens diárias do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas–SP, às 8h15, chegando em Canoas às 10h.

Os voos de retorno partirão às 11h30, com previsão de chegada às 13h15. Segundo o “Suno”, os canais de vendas da aérea já estão disponibilizando a aquisição de passagens.

Já a Latam comunicou que, em breve, as passagens aéreas e seus voos diários estarão disponíveis na rota Guarulhos-Canoas-Guarulhos e os cinco voos semanais (excluindo as quartas-feiras e os sábados) na rota Congonhas-Canoas-Congonhas.

O local de embarque e desembarque para as operações comerciais em Canoas será o ParkCanoas Shopping. O local também servirá como base para atendimento aos clientes.

Até a semana passada, a base aérea de Canoas estava autorizada, somente, a receber voos de carga. Mas a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovou a operação de transportes de passageiros para expandir as operações aéreas no RS, que vem enfrentando os impactos da tragédia climática no estado.

Azul (AZUL4): CEO vê aquisições como saída para aéreas problemáticas

O CEO da Azul (AZUL4), John Peter Rodgerson, afirmou que a consolidação reduziria o custo de capital para as companhias aéreas latino-americanas e, consequentemente, promoveria melhores serviços para os clientes. “Sempre acreditamos muito na consolidação”, disse ele.

A afirmação do CEO da Azul foi feita em uma entrevista em Nova York na quarta-feira (15). “O produto melhora para os clientes e pode realmente fortalecer um grande mercado no Brasil que vemos hoje”, afirmou Rodgerson, conforme antecipado pelo “InfoMoney”.

Rodgerson não comentou sobre o processo “ativo” de fusões e aquisições. Entende-se que a Azul está explorando uma fusão com a Gol (GOLL4), com negociações em andamento para um possível acordo com a aérea brasileira.