Medidas foram tomadas

Santander (SANB11) relata invasão de dados de clientes no exterior

O Santander implementou ações imediatas para mitigar o ocorrido, incluindo o bloqueio de acesso à base de dados comprometida.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Grupo Santander, proprietário do Santander (SANB11), comunicou que os dados de um provedor externo, com informações de clientes, funcionários e ex-funcionários do Santander Chile, Uruguai e Espanha, foram acessados individualmente.

Segundo documentos divulgados pelo Grupo Santander, não foram acessadas informações de transações bancárias e muito menos dados sobre credenciais de acesso ao internet banking, já que o provedor externo não possuía esses dados.

Embora a instituição não tenha especificado quantos clientes foram afetados, o banco afirmou que está informando proativamente os funcionários e clientes impactados, além de ter notificado os reguladores e entidades de segurança pública.

Além disso, segundo o “Suno”, o Santander implementou ações imediatas para mitigar o ocorrido, incluindo o bloqueio de acesso à base de dados comprometida, e sinalizou que vem investindo na prevenção de fraudes, sem detalhar quais seriam essas ações.

Santander diz que Azul (AZUL3 ) tem resultados fortes no 1TRI24

Azul (AZUL3) reportou um primeiro trimestre com fortes resultados, segundo a análise do Santander, que destaca o Ebitda 8% acima do previsto. 

O resultado foi impulsionado por uma combinação de crescimento moderado anual na receita operacional por assentos-quilômetro oferecidos (Rask) e uma queda significativa no custo operacional por assento disponível por quilômetro (Cask).

Além disso, a empresa manteve sua alavancagem estável em 3,7 vezes a dívida pelo Ebitda (ND/Ebitda) nos últimos 12 meses, com a administração visando alcançar um múltiplo de cerca de 3,0 vezes até o final de 2024, conforme destacado pelos analistas Lucas Barbosa, Lucas Esteves e Gabriel Tinem em seu relatório aos clientes.

O Ebitda recorrente da Azul atingiu R$ 1,4 bilhão no primeiro trimestre de 2024, registrando um aumento de 37% em relação ao ano anterior, com uma margem de Ebitda de 30,2% (+7,3 pontos percentuais).

Cask da Azul (AZUL3) reduz 6%

Quanto ao Cask da Azul (AZUL3), houve uma redução de 6% em comparação com o primeiro trimestre de 2023, principalmente devido à diminuição nos custos de combustível por assentos-quilômetro oferecidos (ASK) em 21%, combinada com a queda de 19% nos preços do combustível por litro e uma frota mais eficiente em termos de combustível.

Por outro lado, o Cask ex-combustível aumentou 5% em um ano, destacando-se o aumento de 22% nos salários e benefícios por ASK, resultante de contratações no quarto trimestre de 2023, internalização de algumas atividades para otimização de custos e aumentos salariais relacionados a acordos trabalhistas.