Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.

Dinheiro

Bolsa sobe 0,76% apoiada nos setores de mineração e siderurgia

Folhapressem 26 de julho de 2021 19:05
  • Petrobras registrou ganhos de 2,72%
  • O mercado doméstico de câmbio segue instável, enquanto investidores se preparam também para a decisão do Copom
  • O foco total dos agentes financeiros está nas sinalizações a serem dadas pelo Federal Reserve

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa de Valores brasileira encerrou a sessão desta segunda-feira (26) com alta de 0,76%, aos 126.003 pontos. O principal avanço veio dos setores de mineração e siderurgia, que tiveram um dia positivo diante do avanço dos preços do minério de ferro da China.

Por aqui, Vale subiu 2,17%, a R$ 116,60. Ainda no setor de mineração e siderurgia, CSN também foi destaque no pregão desta segunda, com alta de 3,54%, enquanto Usiminas subiu 3,56%.

As blue chips, ações de empresas líderes de mercado e com grande volume de negociação na Bolsa de Valores, também tiveram um dia positivo. Petrobras, por exemplo, registrou ganhos de 2,72% (preferenciais, sem direito a voto) e de 2% (ordinárias, com direito a voto). A petroleira convocou assembleia de acionistas para 27 de agosto para eleger membros do conselho de administração.

No exterior, os índices americanos Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq subiram 0,24%, 0,24% e 0,03%, respectivamente.

O dólar, por sua vez, fechou em queda de 0,67%, cotado em R$ 5,1750, com as vendas da moeda no exterior se estendendo às operações locais num dia de retomada de apetite por risco e na antevéspera da decisão de política monetária nos Estados Unidos.

De forma geral, o mercado doméstico de câmbio segue instável, enquanto investidores se preparam também para a decisão do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) na próxima semana.

O foco total dos agentes financeiros está nas sinalizações a serem dadas pelo Federal Reserve (Fed, BC dos EUA) na quarta-feira, especialmente num momento em que o mercado enfrenta renovados temores da pandemia e potencial impacto sobre uma economia que produz números mais altos de inflação.

Relacionadas