Empresas

“Big Brother” das frotas: Cobli recebe aporte de R$ 175 mi do SoftBank

Redação BP Moneyem 21 de julho de 2021 17:02
  • O serviço se tornou ainda mais promissor na pandemia, a empresa cresceu mais de 100% ao longo de 2020
  • A companhia é um “Big Brother" para os clientes que precisam gerenciar frotas de caminhões, carros e ambulâncias pelas cidades do país
  • A Cobli pretende expandir o produto atual investindo em tecnologia com inteligência artificial

Nesta quarta-feira, 21, a startup brasileira Cobli anuncia ter concluído sua rodada de investimento série B, de US$ 35 milhões (R$ 175 milhões, cotação atual), liderada pelo SoftBank e com a participação da Qualcomm Ventures e dos antigos investidores NXTP Ventures, Fifth Wall e Valor Capital.

A companhia, fundada em 2017, é um “Big Brother" para os clientes que precisam gerenciar frotas de caminhões, carros e ambulâncias pelas cidades do país. Funciona com a instalação de um pequeno dispositivo nos veículos, com ele, a startup tem informação da localização e ajuda os clientes (geralmente gestores logísticos) a analisar informações sobre as rotas e a qualidade da direção dos motoristas. 

Em nota o investidor do SoftBank,  Matt Pieterse, afirma:“A Cobli está ajudando a impulsionar a evolução do setor de transporte e logística na América Latina. Estamos animados em nos juntar e apoiar essa missão de trazer dados, insights e eficiência para as frotas em toda a região”.

A startup se tornou ainda mais oportuna durante a pandemia, momento em que com as medidas de distanciamento social impulsionando o e-commerce e as alternativas de gestão remota de trabalho, impulsionou aumentou a demanda de procura pelos serviços da Cobli. Ao longo de 2020, a empresa cresceu mais de 100% e tem hoje uma base de mais de 3.000 empresas clientes em 150 cidades do país.  

A Cobli pretende expandir o produto atual, fornecendo mais dados e inteligência para os clientes. "Queremos tratar os dados, dar mais alertas e notificações, ajudando as empresas de maneira mais preditiva", diz o cofundador, Rodrigo Mourad.

Relacionadas