Economia nacional

Haddad: ‘estamos combinando emprego com inflação controlada’

O ministro destacou que o pais encerrou o 1º trimestre com redução do desemprego e uma inflação sob controle.

Ministro Haddad
Ministro Haddad (foto: Alessandro Dantas/Fotos Púlbicas)

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, destacou, nesta terça-feira (30), que o Brasil encerrou o primeiro trimestre com um aumento no número de empregos, redução do desemprego e uma inflação sob controle.

Haddad compartilhou essas informações durante uma entrevista coletiva realizada na sede da pasta localizada na Avenida Paulista, em São Paulo.

O chefe da pasta enfatizou que tanto o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) quanto a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) contínua revelaram indicadores favoráveis para o mercado de trabalho.

“Em termos de geração de emprego, nós abrimos 719 mil novas vagas no Brasil no primeiro trimestre”, disse Haddad, durante a coletiva. 

“Isso se combina com uma inflação bastante controlada”, completou, citando os últimos números do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) no país.

Além disso, o ministro da Fazenda mencionou que o ministério está aguardando a divulgação dos relatórios das agências de classificação de risco Moody’s e Fitch. No caso da Moody’s, ele afirmou que o documento poderá ser publicado ainda esta semana.

“Só poderei comentar quando for divulgado”, afirmou Haddad.

Haddad cita Caged: especialistas divergem sobre cortes na Selic

O Brasil criou, em março deste ano, 244.315 postos de trabalho, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). O valor veio acima da expecativa do consenso, que projetava 193 mil vagas, e abaixo do resultado de fevereiro, quando foram criados 300 mil postos de trabalho.

Ao BP Money, o CEO da Multiplike, Volnei Eyng, disse que resultado é “remédio amargo, mas positivo”. “Apesar de ser um número menor [comparado ao de fevereiro], é considerado positivo, pois oferece espaço para o BC (Banco Central) reduzir a taxa Selic sem estar tão pressionado por dados robustos de geração de emprego”, afirma Eyng.

Andre Colares, CEO da Smart House Investments, afirma que o resultado referente ao mês de março indica uma desaceleração na recuperaçao do mercado de trabalho, devido ao número menor quando comparado ao mês anterior.

Entretanto, ele ressalta que “embora ainda represente um dado positivo, essa diminuição pode ser interpretada como uma normalização após uma rápida recuperação”.

Já André Meirelles, Diretor de Alocação e Distribuição da InvestSmart, pontua que os dados do Caged sobre a criação de vagas de emprego em março evidenciam um mercado de trabalho aquecido.